SUBLUXAÇÃO
Poder das Mãos Web
Redes Sociais
Links Úteis
ARTIGOS
Câncer de Laringe

 

Câncer de Laringe: fumar e beber aumentam em 40 vezes as chances de desenvolver a doença
 
Qual a ocorrência de câncer de laringe? É um câncer de alta incidência?
 
O câncer de laringe é um dos mais comuns entre os tumores que acometem a cabeça e o pescoço; representa em torno de 25% dos tumores malignos dessa região e 2% de todas as neoplasias malignas em geral. É um câncer de alta incidência se considerarmos a região da cabeça e pescoço.
 
Quem é mais propenso a desenvolvê-lo, homens ou mulheres?
 
O câncer de laringe ocorre mais em homens que em mulheres, sendo a proporção de 4:1.
 
Quais são os sintomas do câncer de laringe? Eles costumam ser persistentes?
 
Os pacientes referem rouquidão progressiva há vários meses. Podem ter a sensação de corpo estranho na garganta. Os sintomas vão depender do tamanho do tumor. Em tumores mais avançados pode ocorrer dificuldade de deglutir (disfagia) ou dor para deglutir (odinofagia), assim como dor no ouvido (dor reflexa) se o tumor se localizar na porção mais alta da laringe. Se o tumor estiver na glote (região média da laringe) e se estender à subglote (região mais baixa da laringe) e for avançado, pode provocar tosse e falta de ar.
 
Os sintomas costumam ser persistentes e apresentam piora progressiva à medida que o tumor se torna mais avançado.
 
Quando a pessoa deve se preocupar com os sintomas e procurar ajuda médica?
 
Rouquidão ou desconforto na garganta persistente por mais de 15 dias é indicação para avaliação médica.
 
Nódulos no pescoço são sinais de câncer de laringe?
 
Gânglios cervicais aumentados (“caroço” no pescoço) podem ocorrer em câncer de laringe. 
Os nódulos cervicais podem ser de origem inflamatória (devido a uma infecção), de origem congênita ou metástase de algum tumor dos órgãos da cabeça ou pescoço.
 
A detecção precoce pode aumentar as chances de cura?
 
A detecção precoce aumenta as chances de cura, assim como o tratamento será mais conservador e menos mutilante para o paciente. As chances de preservação da laringe aumentam com o diagnóstico precoce.
 
Fumar, beber e fazer mau uso da voz pode fazer a pessoa desenvolver um câncer na laringe?
 
Cigarro e álcool são os principais fatores de risco (qualquer coisa que aumenta a chance de contrair uma doença) para o câncer de laringe. 
O risco aumenta 10 vezes com o tabagismo exclusivo e 4 vezes com o consumo abusivo de bebidas alcoólicas. (Consumo abusivo para homens: mais de 2 latas de cerveja ou 2 taças de vinho ou meio copo de destilado, cachaça ou uísque, por dia. Para as mulheres o limite é a metade do aceitável para os homens.) 
A associação de fumo e álcool apresenta um risco quadriplicado, ou seja, é 40 vezes maior o risco em relação a uma pessoa que não fuma nem bebe.
O abuso vocal não aumenta o risco de câncer de laringe.
 
O câncer de laringe é hereditário?
 
Possivelmente exista um fator hereditário associado ao câncer de laringe, já que algumas pessoas desenvolvem câncer de laringe e outras não.
 
Há algum modo de prevenir o câncer de laringe?
 
Sim, 80% dos casos de câncer de cabeça e pescoço ocorrem em pessoas que fumam e consomem álcool.
 
A alimentação pode ajudar a prevenir o câncer de laringe? Que alimentos devem ser consumidos?
 
Alimentos com antioxidantes, como vegetais, frutas, chá-verde, podem auxiliar na prevenção de câncer.
 
Como é feito o diagnóstico da doença? Que procedimentos são realizados para se constatar o câncer de laringe?
 
O diagnóstico de um tumor laríngeo é feito através da visualização do tumor na laringe por meio do exame de laringoscopia indireta com endoscópio rígido ou flexível. Esse exame vai mostrar o tamanho e a localização do tumor.
 
O diagnóstico definitivo de um tumor maligno será feito através da biópsia do tumor.
 
Como é realizada a biópsia?
 
A biópsia é realizada através de um procedimento cirúrgico em que se colhe um fragmento do tumor, que será enviado para análise histopatológica para determinar o tipo de tumor e o estágio de evolução. Durante esse exame o tamanho e a área que ele ocupa são delimitados pelo cirurgião.
 
Como é o tratamento de pacientes diagnosticados com câncer de laringe? Há casos em que a laringe não é preservada? Nesses casos, como fica a voz do paciente?
 
O tratamento depende da localização do tumor e do estágio do tumor. 
O carcinoma in situ (lesão pré-invasiva) e o carcinoma microinvasivo podem ser tratados com cirurgia endoscópica. A radioterapia pode ser necessária quando não é possível ter certeza de que toda a lesão foi removida com a cirurgia. 
Os carcinomas invasivos em estágio inicial podem ser tratados com cirurgia endoscópica ou laringectomia parcial ou radioterapia em casos selecionados, por exemplo, um paciente profissional da voz, pois existe um menor risco de comprometimento da qualidade vocal.
Em estágios mais avançados o tratamento indicado pode ser a laringectomia total ou em alguns casos a associação de quimioterapia neoadjuvante à radioterapia, que visa sensibilizar as células neoplásicas à radioterapia.
Nos casos em que a laringe não é preservada, a reabilitação fonatória pode ser realizada durante a cirurgia, com a implantação de prótese fonatória. Após 15 dias da cirurgia o paciente começa a reabilitação vocal.
A voz com a prótese fonatória é rouca, porém o paciente consegue manter uma boa comunicação.
 
Os diferentes estágios pedem tratamentos diferentes?
 
Sim, o tratamento depende do estágio do câncer no diagnóstico. 
De acordo com a localização e o estágio do câncer, ele pode ser tratado com cirurgia e/ou radioterapia e com quimioterapia associada à radioterapia.
A radioterapia pode ser o tratamento inicial, a fim de preservar a voz, deixando a cirurgia para o resgate se a radioterapia não conseguir eliminar o tumor.
A quimioterapia associada à radioterapia é utilizada para preservação da laringe, em geral em estágios mais avançados. A quimioterapia tem o objetivo de enfraquecer as células tumorais para o melhor resultado da radioterapia.
 
No caso da retirada da laringe, que procedimentos são feitos para a melhora da qualidade de vida do paciente? A traqueostomia é necessária em alguns casos?
 
Em pacientes submetidos à laringectomia total, é possível a reabilitação da voz através da utilização de próteses específicas.
Em casos de laringectomia total a traqueostomia é sempre necessária e é definitiva. Nos casos em que a laringe é preservada, pode ser necessária a realização de uma traqueostomia temporária até o paciente ser capaz de deglutir e respirar sem risco de aspiração. Nas cirurgias endoscópicas, realizadas em câncer muito inicial, não há necessidade de traqueostomia pós-operatória.
 
Quais são as chances de cura da doença?
 
Quanto mais cedo o câncer de laringe for diagnosticado, maior as chances de cura. Se o câncer de laringe for diagnosticado em estágio inicial, as chances de cura são de até 90%. Em estágio intermediário, as chances caem para 60%. Em casos avançados a chance de cura é de 40 a 50%.
 
Pacientes que continuam bebendo e fumando durante o tratamento têm chance de cura reduzida?
Sim, a cura fica reduzida e há ainda um aumento no risco de aparecimento de um segundo tumor na área da cabeça e pescoço.